Pular para o conteúdo principal

Quinta do Marquês

Tem coisa melhor que entrar em uma padaria enorme, estilosa e com muita opção disponível? Descobri a pouco tempo que gosto muito de entrar em uma dessas e escolher quais daqueles montes de pães que eu nunca tinha visto antes levarei para casa. Já tenho algumas padocas aqui na lista, já falei da Itirki Bakery e hoje é a vez da Quinta do Marquês.


Ela fica ridicularmente perto de onde trabalho, eu acompanhei o progresso das obras desde a época que ninguém sabia no que aquilo ia dar, mas demorei muitos meses para finalmente conhecê-la. O motivo de tanta enrolação é bem tosco: o lugar é muito bonito, logo é caro. Realmente, não é barato, mas também não chega a ser uma Galeria dos Pães.


Ainda não tive a chance de experimentar muita coisa e contei com a ajuda da minha sobrinha para tirar algumas das fotos deste post. Até o momento o que mais gostei foram dos pães em baguetonas para levar para casa. Custam uns 5 ou 7 reais e sempre são mui interessantes.
Os últimos destaques são para o Pão Australiano, que é uma tentativa de imitação do pão preto do Outback que deu errado mas continua bom; o Multigrãos, que tem tanto grão que parece comida de passarinho e seria ótimo se não fossem as uvas passas; e o Italiano integral, que é uma boa opção para quem está tentando levar uma vida mais saudável. Quem está nesse barco sabe como é difícil achar um pão legal e integral, geralmente as padarias só oferecem o pão francês nesta versão.
Não, eu não estou totalmente nesta vida, ainda!


Os salgadinhos e docinhos também parecem ser gostosos, há almoço self-service durante a semana, mas haja visitas para experimentar! Gostei muito do pastel de nata (R$4,50 o grande / R$2,00 o pequeno), o creme é bem suave e viciante. O que incomoda um pouquinhozinho, dependendo do dia e do pastelzinho, é o gosto de ovo da cobertura que às vezes fica mais forte, mas nada que me impeça de comê-lo, hehehe.

Não tenho o que reclamar da Quinta, sem dizer que a Faria Lima tava precisando e muito de uma padaria estilosa assim. Era muito complicado depender das padocas-boteco que pipocam por todos os lados, haha.

Ficha feliz:
  • Satisfação da gordinha: saiu feliz e com uma sacola de pães porque é curiosa
  • Preju: geralmente deixo uns R$10,00 em cada visita
  • Unidade visitada:
    • Avenida Brigadeiro Faria Lima, 1853
    • (11) 3371-2300
  • Horário de funcionamento: todos os dias, das 6:00 às 23:30
  • Lotação: 230 lugares
  • Site para maiores informações: http://www.aquintadomarques.com.br

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Receita: Chá de Pobá

Era para ser divertido e gostoso... mas não foi bem assim. Estragamos muita coisa, arriscamos muito e no fim... eu nem gosto de pobá no chá porque aquelas bolinhas me dão nervoso, haha. Ainda acho mais fácil comprar pronto na Liberdade mesmo! 

Nível de dificuldade: médio, se a gente soubesse das instruções antes Porção: com o que sobrou do que deu certo, 4 copos grandes 
Ingredientes: 1 xícara (chá) de bolinhas de tapioca 2 xícaras (chá) de água 1/4 de xícara (chá de mel)1 xícara (chá) de açúcar mascavoLeite, creme de leite ou leite condensado à gostoChá preto forteAçúcar, mel ou frutose para adoçar
Modo de preparo simples: Cozinhe as bolinhas de pobá e reserve. Enquanto isso aqueça a água e acrescente o mel e o açúcar mascavo. Deixe a mistura esfriar e jogue as bolinhas. Monte em um copo as bolinhas coadas, o chá, o leite, o gelo e adoce à gosto. 
Modo de preparo com dificuldades da vida:  A únicas bolinhas que encontramos para vender na Liberdade eram branquinhas (na Casas Bueno, não est…

Outback

Siiim! Finalmente um post sobre o lendário Outback, diretamente da minha unidade favorita! Wow, comecei o ano escrevendo muita coisa que estava devendo para minha consciência gordinha, que alegria!
Sei que o lugar dispensa apresentações: bacanudo, atendimento eficiente, comida boa e engordativa, filas insanas e a conta um pouco salgada. Mas acho que vale muito a pena reforçar tudo isso, além de expor algumas técnicas de sobrevivência que nunca caem de moda, aiquifodis.

A primeira delas é tentar chegar lá o mais cedo possível e com metade das pessoas que se sentarão com você presentes. Se algum destes itens faltar, é sentar e esperar, e muito. Em minha última visita, fui com a minha irmã e sobrinha um pouco depois que a casa abriu para o jantar em uma terça-feira, às 17:45. Às 18:30 resolvemos olhar um pouco a nossa volta e todas as mesas estavam ocupadas, é coisa de louco.


Começamos os trabalhos pedindo os clássicos Iced tea, servidos em caneconas estilosas (cujo modelo mudou desde o…

Doces Dulce

Mais uma dica de bairro feliz na área. Este vale a pena porque, pelo menos aqui em casa, a gente tinha um problemão para encontrar docinhos de festa de qualidade e em quantidades menores que 100. Geralmente os lugares ou pessoas só fazem muitos para festas e buffets e às vezes, justamente por causa da quantidade, não são tão gostosos. Para piorar, minha família não é muito grande e a gente também tem vontade de comer essas coisinhas sem ter um motivo de comemoração específico.


Em uma ruazinha meio escondida, apagada por causa de um supermercado que fica em frente, encontra-se um mini paraíso do doces felizes, o Doces Dulce. Olhando para a fachada ninguém dá nada, mas logo na entrada você é recepcionado por várias bandejas de doces gritando "Eu! Me leva! Uhul!".


O preço delas varia pouco (de 9 a 10 mangos de puro deleite) e tem brigadeiro, beijinho, cajuzinho, camafeu, quindim, olho de sogra, queijadinha, trufas, bombons e outros que eu nem sei o nome. Algumas são mistas e, c…