quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Quase SP Burger Fest: Empório Saragana

Este era para ser o último lugar do SP Burger Fest, fiz reserva para uma mesa grande do lado restaurante para o sábado na hora do almoço e cheguei no horário já sabendo qual iria pedir! Nossa mesa tinha o papel do evento (como dá para ver na foto) e estava só esperando todos meus amigos chegarem para fazer o pedido... que não rolou.


Antes disso pedimos as bebidas (só havia duas opções de suco, pelo menos o de abacaxi com gengibre e hortelã era bom) e as entradas: batata doce chips com guacamole (que estava boa, só precisava vir muito mais chips porque sobrou muita guacamole) e bolinho de arroz com pequi.


Voltando ao problema, o garçom nos disse que eles não faziam os hamburgueres do evento no horário de almoço, fato besta que não nos foi informado nem na hora da reserva, nem quando chegamos e nem quando começamos a pedir as bebidas. Como disse antes, o papel estava até ali na mesma mas eles só tinham colocado-o lá para sinalizar a reserva! Tentaram conversar com a cozinha para abrirem uma exceção e nada feito. Saímos e fomos gordinhar no Bra.do, que sempre é uma boa escolha.

Não pagamos os 10% porque houve falha tanto do atendimento quanto da cozinha. Para ficar só um pouco mais feio, o garçom só percebeu quando já estávamos na porta e nos abordou para cobrar. Explicamos e pelo menos não rolou nenhum barraco (embora eu já estivesse preparada para um, hehe). Uma pena, gostaria muito de ter experimentado o hamburguer.

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Evento Gastronômico do Bem

Feira de comida boa e barata sempre é uma boa pedida, fica ainda melhor quando parte da nossa grana vai para ajudar uma instituição e fica perfeito quando é para cachorros! Fui no Evento Gastronômico do Bem deste último domingo que estava lá para ajudar o Projeto SalvaCão, mesmo com o tempo fechado que acabou terminando em chuva chatinha!


Pelo menos o horário era ideal, umas 5 até as 7 e pouco da noite, porque não era exatamente horário de janta e não pegamos filas. Só tivemos que esperar um pouco pelo lanche de picanha argentina da Vivi Express (R$20) que era preparado na hora e, mesmo tendo tanta cebola e não ser meu, estava ótimo! Que carne! *-*

Comecei com a famosa coxinha de pato (R$7) do Carlos Bertolazzi e admito que foi por puro hype, hehe. Realmente não me dou muito bem comendo este bicho que acho tão fofo, preferia que fosse de frango, mas a massa estava sensacional, perfeita e super crocante por fora. Se não fosse pela curiosidade, teria pedido a de costela e teria saído 100% satisfeita.


Também peguei a paella da barraca do Festival de Pescados da Ceagesp (R$19) já que perdi a edição que rolou em setembro e também estava muito curiosa! A panelona que prepararam era impressionante, a porção bem servida (com 5 camarões gigantes) e estava boa. Para mim poderia ter um pouco menos gosto de mar e peguei um grãozão de areia no final desanimante. Fico muito triste quando a última bocada de um prato não é boa.


De sobremesa finalmente experimentei o pastel de nata da Casa Mathilde (lugar que sempre quis ir mas desanimo pela localização - R$7) e é tudo isso que dizem mesmo. O melhor que já provei até hoje! Minha mãe também aprovou, dizendo que lembra muito um doce que ela comeu quando era mais nova, e isso significa muita coisa!


Para fechar, um mocha do Black'n load, que foi uma novidade por se tratar de um carro de café! Parece que eles são novos, o atendimento foi um pouquinho confuso, mas tudo se resolveu quando peguei minha bebida quentinha. O gosto do espresso era presente e ao mesmo tempo não tão forte assim. Por ser de feira/rua, achei o preço um pouco salgado (R$8) pela quantidade, mas tudo bem, estava bom, esquentei por dentro e foi pelo bem dos cachorrinhos!


Outro prato que não pedi e merece destaque foi as costelas com batatas do Melograno (R$20): estavam bem macias, se desfaziam ao menor toque e veio com muita batata e alho só porque citamos que a minha sobrinha gostava (eles eram todos muito simpáticos!). Para ser perfeita só faltou ter um molho menos doce! O lanche de costela desfiada e vinagrete também estava bem bom.


Recomendo muito que, se puderem, frequentem as próximas edições porque é por uma boa causa e a comida é sensacional!  A dica do dia é tentar ir no almoço ou um pouco depois pois há o risco de algumas coisas acabarem, como a limonada com maçã verde de um carro de sucos (minha sobrinha comprou a última e era ótima, doía os lados do rosto!).


Ficha feliz:
  • Satisfação da gordinha: saiu feliz e ainda ajudou cachorrinhos!
  • Preju: R$41
  • Unidade visitada: 
    • Praça Charles Miller s/n 
    • Estacionamento do Estádio do Pacaembu
  • Horário de funcionamento: domingo, das 11:00 às 21:00
  • Visa vale? Não e em algumas barracas só era aceito dinheiro
  • Site: http://www.facebook.com/eventodobem

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

SP Burger Fest - Meat Chopper

Lendo com mais calma a lista dos hamburgueres que foram criados pro SP Burger Fest, só tinha me empolgado mesmo com dois deles, ambos fazem parte da minha lista de lugares que queria conhecer feliz. Fui então no Meat Chopper já sabendo o que pedir e mesmo assim rolou uma dúvida se eu pediria o do evento ou outro do cardápio fixo, que parecia ter muita coisa boa!

Já havia começado o horário do jantar e ainda tinha muita mesa pra gente escolher onde sentar. Fomos muito bem atendidos, na medida certa: nos deram muita atenção no começo e nos deixaram bem em paz no final. Rolou também uma queda de energia rápida, nada que estragasse a visita.


Pedi um Cartuffólio Burger, corretíssimo, que era uma carne linda de 200g com queijo emental, mix de cogumelos (que não vinha transbordando mas estava em uma quantidade aceitável), alho poró (fritinhos, lindos, deram um toque muito bom ao conjunto), rúcula e maionese trufada, que foi uma das melhores maioneses que já provei. Se o lanche não fosse bom, que não era o caso, ela com certeza salvaria tudo. O provável ponto negativo dele é que não perguntaram o ponto da carne e ela veio bem passada, que eu curto mas admito que se viesse ao ponto (pro bem xD) seria muito melhor.


Uma opção a se considerar é pagar um pouquito a mais (6 ou 7 mangos, dependendo do que se escolher) e ter batatas caseiras com alecrim e alho acompanhando o hamburguer. São muito bem feitas, crocantes e fofas ao mesmo tempo e que também ficaram divinas com a maionese trufada, claro. As limonadas também são ótimas, principalmente pra quem curte fortes emoções azedas como eu. A pink lemonade não vem com essência genérica e sim frutas vermelhas esmagadas.

Adorei, sai muito mais satisfeita que imaginei e já quero voltar para provar o hamburguer que tem uma camada de pasta de alho. Uma pena a gente não poder comer isso sempre sem virar uma rolha de poço ambulante.

Outras opções do Burger Fest, caso consiga ignorar a primeira
Ficha feliz:
  • Satisfação da gordinha: saiu rolando muito feliz, como há muito tempo não ficava com um hamburguer
  • Preju: R$43
  • Unidade visitada: 
    • Rua dos Pinheiros, 507 - Pinheiros
    • (11) 3081-5369
  • Horário de funcionamento: 
    • Segunda, das 12:00 às 15:30
    • Terça à sexta, das 12:00 às 15:30 e das 19:00 às 23:30
    • Sábado, das 12:00 à 0:30
    • Domingo, das 18:00 às 23:00
  • Lotação: 54 lugares
  • Visa vale? Sim!
  • Site: http://www.facebook.com/MeatChopperBurger

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Butantan Food Park - edição SP Burger Fest

Finalmente fui conhecer o Butantan Food Park (mesmo morando perto, hehe), graças à edição especial adiantada do SP Burger Fest! Muito mais prático ter um lugar com várias barracas, um de cada restaurante diferente e com preços muito bacanudos!

Queria ter escolhido de antemão, com mais calma, no conforto do meu lar, mas o "line up" não foi inteiramente divulgado. Piorando a situação, chegando lá, algumas barracas não tinham a descrição do que estavam vendendo e estava um pouco cheio de gente.


Como não estava com muita paciência, escolhi um que já havia lido no site, do Fiore Restaurante, de fraldinha com cogumelos, queijo e pesto de manjericão. Muuuito bom! Não era dos grandes, mas o tamanho estava bom e tudo estava correto, só poderia ter mais cogumelos *-*. Por mais R$5 acompanhava uma porção generosa de batatas bravas do Bra.do, que são até agora (na minha humilde opinião) as melhores!


Meu amigo foi no Holy Burger e pediu um com brie e geleia de frutas vermelhas. Ele comeu o lanche todo e disse que durante a jornada os sabores fizeram sentido. Para mim, que só deu uma bocada, ficou estranho porque era algo muito doce em cima de uma carne (bem gorda por sinal). É o tipo de agridoce que trava o meu cérebro. Ele também comprou uma pink lemonade que tinha gosto de xarope. =P


Foi muito legal (apesar dos meus pés estarem me matando por causa da bota que eu estava usando e não conseguimos um lugar para sentar), com comida de boa qualidade, de barraca e com preço justíssimo. É um pouco complicado comer em pé e falta mãos para dar conta de tudo, mas não é nada que ninguém já tenha passado pior na Feira da Liberdade, por exemplo. Não é à toa que essa mania de food truck tá pegando bem! Longa vida à elas! \o/


Ficha feliz:
  • Satisfação da gordinha: saiu rolando feliz e chegou em casa 20 minutos depois xD
  • Preju: R$25! 
  • Unidade visitada: 
    • Rua Agostinho Cantu, 47 - Butantã
    • Perto do final da ponte Eusébio Matoso, dá para ir andando do metrô Butantã
  • Horário de funcionamento: 
    • Segunda à quarta, das 11:00 às 16:00
    • Quinta à sábado, das 11:00 às 22:00
    • Domingo, das 12:00 às 19:00
  • Site: http://www.facebook.com/ButantanFoodPark

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Ramen ya

Esta foi dica da minha sobrinha, que havia ido lá antes, e que faz parte do perfil estudantil do lugar: só aceitam dinheiro, preços bem acessíveis, comida simples e kpop tocando no ambiente. Logo não tem nada a ver comigo, que sou uma gordinha sênior que odeia kpop. É bom deixar avisado porque esse lugar tem reviews bem contrastantes nas redes sociais (gente que ama e gente que odeia), provavelmente por causa disso.


O esquema é bem prático: você já pede o que quer no balcão de entrada e paga, ganha uma senha e quando ela aparece no visor da cozinha vai até lá e pega seu pedido. O rapazinho que nos atendeu era muito feliz e simpático, mas acho que poderia pelo menos levar a bandeja já que o lugar estava vazio e ele não tinha muito o que fazer. Parece que normalmente o movimento é esse mesmo.  


Pedi o misso lamen, que pela cor já não prometia muita coisa. Era basicamente um lamen nadando em um missoshiro básico. Aliás o macarrão era pouco, veio todo embolado e se eu deixasse um pouco a etiqueta de lado daria para comer tudo em uma hashizada só! Também achei que vinha muita cebolinha (para pouco conteúdo no chawan) e a única coisa que se salvou foram as fatias de carne de pouco, digo, de porco.


Experimentei o caldo do lamen de shoyu alheio e era ainda pior que o de misso! Não sei de onde saia o gosto amargo ou que raios de shoyu eles usavam para fazer aquilo. Os gyozas provavelmente eram as únicas coisas que o preço não valia: 6 bolinhos magrinhos e super grudados um nos outros por R$12. O da feira da liberdade, sozinho, tinha mais sustância.


Mesmo dando nota vermelha para o lugar, espero que eles melhores (em vários aspectos) porque nunca é demais ter uma casa de lamen na liberdade. Para os próximos anos minha previsão é de não voltar.


Ficha feliz:

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Receita: gelatina de café

Vi esta receita, de novo, no excelente Cooking with the Dog e me pareceu realmente fácil - o suficiente para me sentir confiante para fazer! Deu certo, é bem simples e mesmo assim é uma boa sobremesa rápida e fresquinha, principalmente pra quem curte muito café. E ficou melhor que os que o Kidoairaku serve de cortesia. xD


Porção: 1 xícara de café dá gelatina para 2 pessoas
Nível de dificuldade: fácil


Ingredientes: 
  • 1 xícara (250ml) de café - ou 20g de grãos torrados se você for fino
  • 3 colheres (sopa) de açúcar 
  • 5g de gelatina sem sabor 
  • Chantilly, leite ou leite condensado e chocolate em pó para acompanhar

Modo de Preparo
Faça o café do modo que preferir. Dissolva a gelatina e, junto com o açúcar, misture-a no café. Despeje em uma forma rasa para facilitar o corte em cubinhos e retire a espuma com uma colher ou espátula (para ficar bem lisinho). Deixe na geladeira por um tempo, corte e sirva com leite condensado (ou outras coisas legais que dão mais trabalho como chantilly).


Possíveis erros de percurso
Como mostrava no video, eu joguei a gelatina sem sabor direto no café (que já estava frio) e ela não dissolveu! Depois de um tempo esquentando no microondas e mexendo com o fouet deu certo, mesmo não tendo sumido com todas as pelotinhas (que foram retiradas). Também fiz mais que a quantidade sugerida (na verdade peguei o café que sobrou e ajustei as outras medidas) e faltou açúcar. Sorte que o leite condensado deu uma ótima compensada nisso!

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Havana Café

Um dos meus amigos, companheiro de gordice, estava com vontade de tomar um chocolate quente com doce de leite. Só de digitar isso a minha alma coça, é muita coisa doce junta. Estávamos mais ou menos perto da Av. Paulista então fomos até o Havana Café que fica dentro do Shopping Paulista.

O cardápio de bebidas é muito interessante, com muita variedade. Foi difícil escolher uma e só não foi pior porque a maioria tinha doce de leite e eu estava com receio de morrer de diabetes (mesmo sabendo que o deles é de qualidade). Tomei o submarino, que veio com o chocolate em um pratinho para se ter a emoção de mergulhá-lo. Estava bem bom e nada enjoativo.


As outras bebidas (desta vez com muito doce de leite) pedidas na mesa foram o mocha e o capuccino. Realmente eu não conseguiria encarar nenhuma delas e meu amigo ainda pediu uma porção extra de... doce de leite! Aaaaa!


Não tivemos um atendimento caloroso e minimamente atencioso, talvez seja um padrão para as cafeterias. Mesmo assim acho que é uma boa opção para dar uma variada, ainda mais dentro de um shopping que ainda é tranquilo de se chegar.


Ficha feliz:
  • Satisfação da gordinha: saiu feliz mesmo sem doce de leite 
  • Preju: R$10
  • Unidade visitada:
    • Rua Treze De Maio, 1947 - Piso Paraíso
    • (11) 3253-5484
  • Horário de funcionamento:
    • Segunda à sábado, das 10:00 às 22:00
    • Domingo e feriados, das 12:00 às 22:00
  • Site: http://www.havanna.com.br