segunda-feira, 27 de julho de 2015

Pike Place Market + Pike Place Bar & Grill

Aaah Seattle, que saudades! Enrolei por mais de um ano para escrever este post por pura preguiça de escolher e editar um monte de fotos e resumir direito o que é o Pike Place Market. Como o nome sugere, é um mercadão que vende muito produto local e fresco, no geral são frutas, verduras, legumes, peixes e frutos do mar. Só que é gigante, com muita variedade, várias lojas de outras naturezas e restaurantes variados divididos em blocos que ocupam várias quadras. É um dos pontos turísticos mais famosos, não há quem não visite Seattle sem tirar uma foto da placa e existe desde 1903!


Não tínhamos como comprar nada para levar para casa então almoçamos no Pike Place Bar & Grill (não pesquisamos muito, só queríamos comer peixe). Não me lembro mais os nomes dos pratos e o que exatamente tinha neles além dos peixinhos (isso que dá postergar tanto um post), só me lembro que estava tudo muito bom (menos a sopa do dia, que tinha jeitão de instantânea)!


Outra atração é a primeira loja do Starbucks, que ainda mantém a mesma decoração e logo. A fila para entrar era gigante, por isso só tenho fotos externas! Até porque as bebidas são as mesmas de qualquer outra loja do mundo.  A não ser que houvesse um pó ancião de magia especial nas bebidas!


De alguns lugares ainda dá para apreciar uma vista linda (e Seattle está cheia delas). Deve ser coisamalindadedeus morar em uma cidade dessas. *-*

Ficha feliz:
  • Satisfação da gordinha: saiu super feliz querendo morar em Seattle feliz
  • Endereço: 1st e Pike Street - Seattle
  • Horário de funcionamento:
    • Café da manhã - 6:00
    • Produtos frescos e peixes - 7:00
    • Sino oficial do mercado - 9:00
    • Lojas - 10:00 às 16:00
    • Mercado - 10:00 às 18:00
    • Última chamada de restaurantes e bares - 1:30
    • No geral fica aberto por 19 horas e meia por dia, 363 dias do ano (fecha no Dia de ação de graças e Natal)
  • Site: http://www.pikeplacemarket.org

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Sal Gastronomia

Fachada estranha

Graças ao sensacional Dois por um (e ao convite do meu companheiro de gordices que malditamente não é gordo) fui conhecer o lendário Sal Gastronomia (ou o restaurante do cara do Masterchef xD).
Antes de chegarmos lá - o que foi relativamente difícil pela confusão das ruas, fica perto daqueles montes de curvas e retornos entre Paulista, Consolação e Angélica; e de descobrir que a entrada fica nos fundos - reservamos uma mesa pelo muito bem feitinho Table 4, que mostra um mapa do restaurante com fotos para se escolher a mesa perfeita. No nosso caso, no balcão onde dava para assistir de camarote o trabalho na cozinha. Não tem como não achar tudo lindo e divertido depois que se é fã de programas de reality show de comida, haha.

Pátio estranho nos fundos
Finalizando nossos pratos
Pratos alheios, difícil foi não pular em cima deles xD 

Para maximizar os descontos, pedimos o menu executivo: palmito pupunha assado com amêndoas (muito bom, ainda mais sendo fã de palmito que sou! Só poderia ter vindo só um pouquito mais); carne com molho de mostarda e legumes (sensacional, o molho era viciante e o ponto da carne veio certinho) e sorvete de sobremesa.


Ainda nos permitimos o agradinho de pedir um steak tartare a mais de entrada, que era uma coisalindademeudeus. Carne crua, assim como o carpaccio, dá muito certo nesse trem, viu? Queria que tivesse mais disso na minha vida. Mesmo pedindo uma entrada a mais tudo veio na ordem certa, com um timing muito bom e um atendimento eficiente, simpático e sem forçar a barra.


Infelizmente não é um lugar para se ir sempre, nem é para todo mundo. Sei que há um preço a se pagar pela qualidade da comida e pelo o que nos foi entregue foi justo. É ótimo, amei, mas não sei se é possível sair vendendo essa bandeira de que o preço é acessível. A não ser que seja comparado com o absurdo que andam cobrando por aí!

Ficha feliz:
  • Satisfação da gordinha: saiu satisfeita e feliz pra dedéu
  • Preju: executivo R$45 + steak tartar R$30 + suco R$10 - cupom 2 por 1 (já perdi as contas!)
  • Unidade visitada:
    • Rua Minas Gerais, 352 - Higienópolis
    • Perto da Av. Paulista também, boa sorte no emaranhado de ruas dali
    • (11) 3151-3085
  • Horário de funcionamento:
    • Segunda, das 12:00 às 15:00
    • Terça e quarta, das 12:00 às 15:00 e das 20:00 às 23:30
    • Quinta e sexta, das 12:00 às 15:00 e das 20:00 à 0:00
    • Sábado, das 12:00 às 18:00 e das 10:00 à 0:00
  • Lotação: 35 lugares, reserve pelo table 4 e seja feliz!
  • Site: http://www.salgastronomia.com.br

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Tea Kettle

Última casa de chá que faltava conhecer em São Paulo, uhul! E por motivos óbvios: é preciso encarar um linha da CPTM (que não conseguimos descer na estação que queríamos, passamos e voltamos por causa de pessoas que não desciam naquela estação mas não queriam perder seus privilegiados lugares na porta) e algumas quadras de caminhada.


É preciso tocar um sino para poder entrar, já que a vizinhança é conhecida por ter laboratórios sinistros (pelo menos na minha cabeça). A decoração é toda fofa, puxando praquele lado de "parecer a casa da vovó" - tanto que havia uma mesa de velhinhos xD. Ficamos em uma mesa na parte do fundo, que não recomendamos porque, apesar do jardim ser fofo com aquele verde todo, ele atrai muitos insetos: inclusive pernilongos, que nos comeram vivos.


Por causa da aventura para se chegar até lá, estava com muita sede e pedimos uma jarra de suco de laranja, que valeu muito a pena, muito fresquinho e mais que o suficiente para encher duas pessoas.
Não há menu de chás, a moça vem, nos apresenta 7 tipos, passa o vidrinho para a gente cheirar e a gente escolhe os menos piores. O maior problema aqui para mim é que a maioria envolvia alguma flor e eu não curto muito isso em chá. Na verdade eu não curto a ideia de comer flor no geral!


Escolhemos um oolong que tinha muitas coisas incluindo amêndoas e coco, que não era muito perceptível. Ok, na verdade nada era muito perceptível ali, era muito fraco, talvez devesse ter ficado mais tempo em infusão ou a quantidade de folhinhas não foi suficiente. Se não fosse por isso teria sido um bom chá! O segundo foi complicado, era de maçã verde, prometia, mas o gosto era fraquinho (de novo) e ainda tinha (não sei porque frangalhos) cheiro de meia suja. Quando o cheiro é ruim fica foda de beber.


Sigo amando o Ó-chá, curtindo o Talchá, indo no Tea Connection quando estou perto da paulista e de vez em quase nunca passando no Gourmet Tea. Mas no Tea Kettle não volto mais.


Ficha feliz:
  • Satisfação da gordinha: saiu um tanto decepcionada porém sem dúvidas 
  • Preju: jarra de suco R$18, esqueci o preço dos chás, que poderiam vir em 2 tamanhos de bule diferentes, cada um com seu preço
  • Unidade visitada: 
    • Rua Alexandre Dumas, 1049 - Chácara Santo Antônio
    • Perto da estação Granja Julieta da CPTM
    • (11) 5523-9615
  • Horário de funcionamento: 
    • Terça à sábado, das 9:30 às 19:30
    • Domingo, das 10:30 às 17:30
    • Brunch: domingo, das 10:30 às 15:30
  • Lotação: 80 lugares
  • Visa vale? Não.
  • Site: http://www.teakettle.com.br

terça-feira, 9 de junho de 2015

12 Burger e Bistrô

Depois de seguir o ranking do Guia do Hamburguer e ter amado o Z Deli, fomos conhecer o segundo da lista, o 12 Burger e Bistrô - e só tivemos olhos pro lado hamburguer do cardápio!  Fomos no final do feriado e por pouco não tivemos que ficar na espera, não há muitas mesas. Fiquei tão focada na comida (e, ok, na conversa também) que não tirei fotos do ambiente! Só posso dizer que é bem charmoso e sempre com um garçom olhando pra sua cara (quem diria?).

Pedi um hamburguer com queijo coalho e bacon que originalmente vinha com cebolas caramelizadas, que serviriam para cortar o sal mas que eu pedi para tirar, hehe. Veio no ponto corretíssimo e chato que eu gosto que é ao ponto pro bem e estava simplesmente gostoso para caramba! Que carne cheia de sabor e sonhos, meus amigos. O bacon veio crocante e o pão brilhante de chapa, uma coisa que todo mundo deveria fazer. É daqueles pratos que você come rindo e fechando os olhos a cada mordida. Simplesmente perfeito! *-*


Alguns amigos meus pediram de sobremesa o petit gateau com sorvete de Guiness e eu achei o sorvete... estranho. Não tinha um gosto "exato" de nada, nem era doce, nem amargo.


Não pedi bebida porque ainda estava cheia de uma tarde regada a muito chá, mas a limonada com limões siciliano e taiti estava interessante. Aliás estava cheia suficiente para não querer entrada e nem sobremesa! De qualquer maneira o hamburguer foi tudibom, valeu a pena ir lá só por ele!


Ficha feliz:
  • Satisfação da gordinha: saiu recheada e muuuuito feliz *-*
  • Preju: R$28, um recorde! \o/
  • Unidade visitada: 
    • Rua Simão Alvares 1018 - Pinheiros
    • (11) 3562-7550
    • contato@twelvebistro.com.br
  • Horário de funcionamento: 
    • Terça à sábado, das 12:00 à 0:00
    • Domingo, das 12:00 às 19:00
  • Lotação: 44 lugares
  • Site: http://twelvebistro.com.br

quarta-feira, 3 de junho de 2015

Pé no Parque

Se pudesse experimentaria e iria sempre em todos os rodízios de sopa que rolam na cidade durante o inverno - até o da Ceagesp, pena que é muito cheio. A idade vai avançando e meu gosto por sopas, caldinhos, ensopados e afins só vem aumentando. E o Pé no Parque já estava na minha lista de desejos (por outro motivo, mas estava).

Fomos à noite durante a semana, depois de conseguir passar a muito custo pelo trânsito lazarento da Faria Lima (e com certeza todo mundo passou por isso também porque o lugar só foi encher bem mais tarde). Tem cara de botequinho, se pans até deve rolar alguns happy hours por lá, e tem muita opção saudável no cardápio. Não que faça muito bem, na verdade é porque faz parte dessa cultura de academia doida, mas tinha até um petit gateau com whey. Ick!


Esquema de sempre, mesa com sopas, ao lado pãezinhos (que não eram aqueeela maravilha, serviam mais para serem chuchados na sopa) e acompanhamentos como croutons, pimenta e alho fritinho, cada um serve o seu.


Havia 6 opções de sopas, 2 eram incomíveis para mim e a de cebola só foi porque eu misturei muita coisa ali para disfarçar (e talvez o gosto fosse fraco mesmo para ser mascarado tão facilmente). Esperava muito da canja (minha comida de doente favorita) e ela estaria boa se não tivesse coentro ou algo igualmente desagradável no meio. O caldo verde e o de legumes estavam bacanas, só acho que havia alguma coisa neles para deixar o caldo mais grosso e pesado, ou foi impressão...


Pelo esquema do cupom foi ótimo, não tivemos problemas para usá-lo e o que já era em conta ficou ainda melhor. Ir até lá à noite só para tomar sopa eu já não sei se seria um bom programa, acho que há opções melhores se pagando um pouco mais, com melhores acessos e melhores opções tanto de sopa quanto de acompanhamentos.


Ficha feliz:
  • Satisfação da gordinha: saiu com menos sopa que gostaria, porém cheia
  • Preju: R$17 com o cupom + R$8,90 do suco 
  • Unidade visitada:
    • Rua Inhambu, 240 - tem entrada pela Avenida Helio Pellegrino também
    • (11) 5051-3376
  • Horário de funcionamento:
    • Segunda à sexta, das 11:00 à 0:00
    • Sábado e domingo, das 8:00 à 0:00
  • Lotação: 130 lugares
  • Site: http://www.penoparque.com.br

segunda-feira, 1 de junho de 2015

Casa do Sabor AMMA

Nunca tinha experimentado nenhum chocolate da AMMA mas sempre observei a marca de longe com muita curiosidade - até que ela explodiu quando soube que haviam aberto um lugar onde sobremesas derivadas desses chocolates orgânicos e brasileiríssimos eram servidas.


Logo que entrei o lugar era tão bonito, cheio de informação e vazio que me bateu uma certa vergonhazinha: começo por onde? Onde vou? Pra onde olho? Sorte que todas as atendentes eram muito simpáticas e não tinham preguiça de explicar tudo. Ainda bem porque era muita coisa, muitas palavras novas. Até ralaram um pouco de... de...  esqueci o nome. Enfim, ralaram um pouco para eu sentir o cheiro antes de pedir a bebida!


Simpatizei com a torta de chocolate com camadas de castanha do Pará, geleia de pitanga e talvez algo que tenha esquecido e o amigo com o petit gateau que era adoçado com açúcar de coco. No começo ambos eram ótimos, com aquele gosto de chocolate amargo bem presente, muita personalidade pra todo lado. Depois a coisa começa a ficar difícil porque o gosto do chocolate em si (que é uma coisa muito difícil de se sentir na maioria dos doces) não sai da sua boca. É bom, mas precisa ser comido com paciência entre cada mordida, pois a cada uma vem uma nova porrada de chocolate e mais tempo para se recuperar para a próxima!


Já para as bebidas eu não tive evolução espiritual suficiente para apreciá-las. O chocolate quente tinha umas bolinhas com gosto muito forte e o chá tinha muito sabor junto, não dava para curtir nada e ainda ficou um fundo de grãos impressionante no final.


É um lugar que poucos apreciariam, principalmente porque a gente tá mais acostumado com doces mais doces e simples. Aqui é chocolate na real batendo na sua cara sem dó. Ah, também havia algumas barras para degustar, destaque para o que era feito com cupuaçu (boa ideia, mas não tô muito acostumada com o gosto dele) e o 100%, este sim beeem heavy metal (eu só conseguiria consumi-lo em receitas!).


Ficha feliz:
  • Satisfação da gordinha: saiu com um gostão de chocolate na boca que ficou lá o dia todo
  • Preju: torta e petit gateau R$15, chá R$6, chocolate R$8, barrinha R$17
  • Unidade visitada: Rua Ministro Rocha Azevedo, 1052
  • Horário de funcionamento: segunda à sábado, das 9:00 às 19:00
  • Visa vale? Não, não
  • Site: http://www.ammachocolate.com.br

terça-feira, 26 de maio de 2015

Eataly São Paulo

Fiquei imediatamente apaixonada quando conheci o Eataly de Nova York há quase 4 anos atrás (wow, o tempo voa) e jamais pensaria que um dia uma filial desse antro de comida boa fosse abrir por essas bandas. E não é que rolou? Crise onde, minha gente? O lugar tá sempre cheio e as filas para os restaurantes estão impossíveis!


Como estava morrendo de curiosidade, fui lá na última sexta de manhã, só para conhecer e comprar algumas coisinhas bááásicas para levar para casa. Eram quase 11 horas e as filas já atravessavam os corredores do segundo andar! A La Piazza também tem recepção porque o esquema "pegue uma mesa quando encontrar uma" jamais funcionaria na selvageria vida louca brasileira. Pelo menos nas outras áreas a circulação estava tranquila.


A primeira parte que fui conhecer foi a padaria porque eu PRECISAVA de uma focaccia. Infelizmente não tinha nenhuma com presunto cru (tinha para vender e esquecemos de pegar no final) mas comi uma de shimeji e outra de quatro queijo que estavam bem boas. O preço varia com o peso e paguei na média R$10 em cada, bem servidas (e garanti o café da manhã do fim de semana, hehe). Havia pães para degustar e nos apaixonamos pelo de azeitonas, integral, cheio de sabor por R$16. Uma bitela que precisa ser consumida o mais rápido possível porque fica insuportavelmente duro 3 dias depois. Divida com a família, peguei o menor e mesmo assim foi muito pão para mim!


Depois fui para o chocolate, com doces lindos na "vitrine", foi muito difícil escolher o que levar por R$12 cada um (outra coisa que valeu muito a pena). O meu favorito foi o spumone de mascarpone: tinha uma crostinha bem fininha de chocolate, base de chocolate com castanhas trituradas e um toquezinho de café; muito suave, cheio de delicadezas, um sonho de se comer. É o redondinho com uma espiral na foto abaixo! Também levei um tiramisu lindo, igualmente suave e tudibom (são os cubos com layers da foto).
Não caia na tentação de levar as trufinhas lindas vendidas logo ao lado se não estiver disposto a pagar 390 REAIS o quilo. Minha irmã não imaginou que um absurdo desse era possível e quando descobriu já era tarde demais. Devo dizer que o de amêndoas e o de laranja são muito, muito gostosos, mas por esse preço não dá!


Ficamos na vontade de levar as massas frescas (o preço parece ser bacana, mas é a cada 100g e aqui em casa tem muita gente xD) e não resisti em levar um vinagre balsâmico que estava pela bagatela de R$17 (que ainda não experimentei). Minha vontade era de levar um de cada, passei um tempão namorando aquela gôndola - e encontrei um velho amigo que já tinha me assustado com o preço em NY, por quase 200 dólares, e aqui por praticamente R$700! Pensando na conversão até que a diferença não é tanta, ou seja, ele mantém a consistência de preço de outro universo em ambas as moedas.


Minha irmã ainda trouxe 2 vinhos depois que fomos muito bem atendidas por um NPC-atendente, que surgiu do nada ouvindo a nossa conversa. Segundo ele são vinhos bobos (ele não disse com essa palavras para não ofender) e bem doces, que são ótimos gelados em um dia quentinho comendo petisquinhos. Já abrimos o Moscato e conseguimos visualizar muito bem a cena sugerida, haha! É muito gostoso, 5% de teor alcoolico e mesmo assim fui incompetente o suficiente para ficar com a cara vermelha e queimando com meia taça! \o/


Esta unidade tem mais cara de shopping e tem muito mais frescura que a gringa, adorei de qualquer jeito! É sempre bom ter um lugar super foda assim a 20 minutos de casa, de carro, e bem acessível com transporte público. Falando nisso, tem um valet/estacionamento no subsolo que cobra R$6 a cada meia hora e desconta 1 minuto adicional a cada 1 real em compras, logo é bem barato (ainda mais porque a gente esperava um valor muito mais irreal!).

Compras para a casa =D
 Ficha feliz:
  • Satisfação da gordinha: saiu muito feliz e com sacolinhas cheias
  • Preju: ao todo? Nem quero saber xD
  • Unidade visitada:
    • Avenida Presidente Juscelino Kubitschek, 1489
    • (11) 3279-3300
    • sac@eataly.com.br
  • Horário de funcionamento:
    • Mercado: todos os dias das 8:00 às 23:00 (algumas partes como a padaria e os sorvetes abrem à 10:00)
    • Restaurantes: segunda à sexta das 11:30 às 15:00 e das 18:30 às 23:00
    • Sábado e domingo das 12h às 16h e das 19h às 23h
  • Site: http://www.eataly.com.br