Pular para o conteúdo principal

Kidoairaku

Finalmente consegui encontrar o Kidoairaku aberto (os horários de almoço e janta terminam relativamente cedo e não abre de domingo), o da janta e com lugares disponíveis (no balcão, que não é lá muito confortável, não tem ninguém fazendo comida na sua frente mas tá valendo!). Não se deixe levar pelo preconceito do ambiente super simples (beirando o desleixado): a comida é ótima e os atendentes, mesmo às vezes não sabendo falar português muito bem, se esforçam muito para serem gentis. Pena que não souberam me explicar porque havia um chá preto de R$17 e outro de R$6 no cardápio. Na dúvida fiquei de chá verde, cortesia da casa e que incrivelmente não era amargo.


Há muitas opções no cardápio oficial e ainda outras, talvez temporárias, escritas à mão em papéis colados na parede (e com menos explicações também). Quando vi o chu-toro entre eles foi impossível de resistir, mesmo sendo R$27 por 4 fatias de sashimi. Puxa vida, era chu-toro e estava ótimo! Não me arrependo de nada!


Para compensar nos custos, pedi um teishoku mais em conta de frango grelhado com misso, que estava sensacional! Os acompanhamentos também eram legais, o problema era comigo que não comia algumas coisas como o mini nishime, que é um cozido de várias coisas que não sei a tradução que parece comida de velhinho. Ideia boa, só que não funcionou para mim.


Outra opção da mesa foi o nabeyaki udon, que era udon em uma panelinha com shimeji, verduras, pasta de peixe e outras cositas. Bem bom, bonito e bem servido.


De cortesia, a sobremesa era gelatina de café com leite condensado. O gosto do café era bem presente e o leite condensado deu uma quebrada muito boa. Bem levinho, muito bom para fechar a refeição.

Ficha feliz:
  • Satisfação da gordinha: saiu rolando bem feliz por finalmente ter riscado o lugar da lista!
  • Preju: R$57 - não aceitam cartões de crédito, só débito
  • Unidade visitada: 
    • Rua São Joaquim, 394 (esquina com a Rua Galvão Bueno) - Liberdade 
    • (11) 3207-8569
  • Horário de funcionamento: 
    • Segunda à sexta, das 11:30 às 13:45 e das 18:30 às 22:30
    • Sábado, das 11:30 às 13:45 e das 18:30 às 21:30
  • Visa vale? Nop 

Comentários

  1. Sempre tenho um medinho de comer nesses restaurantes da Liberdade!
    Não pelo ambiente, que as vezes nos deixam meio que inseguras quanto à higiene do lugar, mas também pelos cardápios, que na maioria das vezes não entendemos nada!
    Esses restaurantes da liberdade são mega tradicionais e nada parecidos com os rodízios que estamos acostumadas,né?!
    Parabéns pelo post! Adorei!
    Vou voltar sempre :)
    Beijos

    www.vanillathought.wordpress.com

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Receita: Chá de Pobá

Era para ser divertido e gostoso... mas não foi bem assim. Estragamos muita coisa, arriscamos muito e no fim... eu nem gosto de pobá no chá porque aquelas bolinhas me dão nervoso, haha. Ainda acho mais fácil comprar pronto na Liberdade mesmo! 

Nível de dificuldade: médio, se a gente soubesse das instruções antes Porção: com o que sobrou do que deu certo, 4 copos grandes 
Ingredientes: 1 xícara (chá) de bolinhas de tapioca 2 xícaras (chá) de água 1/4 de xícara (chá de mel)1 xícara (chá) de açúcar mascavoLeite, creme de leite ou leite condensado à gostoChá preto forteAçúcar, mel ou frutose para adoçar
Modo de preparo simples: Cozinhe as bolinhas de pobá e reserve. Enquanto isso aqueça a água e acrescente o mel e o açúcar mascavo. Deixe a mistura esfriar e jogue as bolinhas. Monte em um copo as bolinhas coadas, o chá, o leite, o gelo e adoce à gosto. 
Modo de preparo com dificuldades da vida:  A únicas bolinhas que encontramos para vender na Liberdade eram branquinhas (na Casas Bueno, não est…

Outback

Siiim! Finalmente um post sobre o lendário Outback, diretamente da minha unidade favorita! Wow, comecei o ano escrevendo muita coisa que estava devendo para minha consciência gordinha, que alegria!
Sei que o lugar dispensa apresentações: bacanudo, atendimento eficiente, comida boa e engordativa, filas insanas e a conta um pouco salgada. Mas acho que vale muito a pena reforçar tudo isso, além de expor algumas técnicas de sobrevivência que nunca caem de moda, aiquifodis.

A primeira delas é tentar chegar lá o mais cedo possível e com metade das pessoas que se sentarão com você presentes. Se algum destes itens faltar, é sentar e esperar, e muito. Em minha última visita, fui com a minha irmã e sobrinha um pouco depois que a casa abriu para o jantar em uma terça-feira, às 17:45. Às 18:30 resolvemos olhar um pouco a nossa volta e todas as mesas estavam ocupadas, é coisa de louco.


Começamos os trabalhos pedindo os clássicos Iced tea, servidos em caneconas estilosas (cujo modelo mudou desde o…

Receita própria: Banana com Neston

Parece bobo e realmente é: sabe o slogan do (ou da?) Neston que é algo a ver com existirem 1000 maneiras de prepará-lo? Quando eu era criança eu queria experimentar os 1000 jeitos e às vezes apelava para conseguir mais receitas diferentes: por exemplo, ter açúcar em uma e não ter geravam duas receitas, uhul!  Depois passei muito tempo sem querer ver uma lata de Neston na minha frente (sim, eu sei que agora não é mais lata mas *velhinha mode on* na minha época era *velhinha mode off*) porque eu tenho essa mania de gostar de algo e comer até enjoar. Há pouco tempo voltei a misturar esses floquinhos felizes em uma coisa ou outra, mas com moderação. 
Gostaria de dividir com vocês receitas mais legais mas cozinho tão bem quanto sei voar. Então é o que temos para hoje: Banana com Neston! \o/

Porção: 1 pratinho cheio para uma pessoa Nível de dificuldade: besta de tão fácil que é
Ingredientes: 1 banana (pode ser de qualquer tipo) 2 colheres de sobremesa de neston 1 colher de sobremesa de açúcar o…