Pular para o conteúdo principal

Evento Gastronômico do Bem

Feira de comida boa e barata sempre é uma boa pedida, fica ainda melhor quando parte da nossa grana vai para ajudar uma instituição e fica perfeito quando é para cachorros! Fui no Evento Gastronômico do Bem deste último domingo que estava lá para ajudar o Projeto SalvaCão, mesmo com o tempo fechado que acabou terminando em chuva chatinha!


Pelo menos o horário era ideal, umas 5 até as 7 e pouco da noite, porque não era exatamente horário de janta e não pegamos filas. Só tivemos que esperar um pouco pelo lanche de picanha argentina da Vivi Express (R$20) que era preparado na hora e, mesmo tendo tanta cebola e não ser meu, estava ótimo! Que carne! *-*

Comecei com a famosa coxinha de pato (R$7) do Carlos Bertolazzi e admito que foi por puro hype, hehe. Realmente não me dou muito bem comendo este bicho que acho tão fofo, preferia que fosse de frango, mas a massa estava sensacional, perfeita e super crocante por fora. Se não fosse pela curiosidade, teria pedido a de costela e teria saído 100% satisfeita.


Também peguei a paella da barraca do Festival de Pescados da Ceagesp (R$19) já que perdi a edição que rolou em setembro e também estava muito curiosa! A panelona que prepararam era impressionante, a porção bem servida (com 5 camarões gigantes) e estava boa. Para mim poderia ter um pouco menos gosto de mar e peguei um grãozão de areia no final desanimante. Fico muito triste quando a última bocada de um prato não é boa.


De sobremesa finalmente experimentei o pastel de nata da Casa Mathilde (lugar que sempre quis ir mas desanimo pela localização - R$7) e é tudo isso que dizem mesmo. O melhor que já provei até hoje! Minha mãe também aprovou, dizendo que lembra muito um doce que ela comeu quando era mais nova, e isso significa muita coisa!


Para fechar, um mocha do Black'n load, que foi uma novidade por se tratar de um carro de café! Parece que eles são novos, o atendimento foi um pouquinho confuso, mas tudo se resolveu quando peguei minha bebida quentinha. O gosto do espresso era presente e ao mesmo tempo não tão forte assim. Por ser de feira/rua, achei o preço um pouco salgado (R$8) pela quantidade, mas tudo bem, estava bom, esquentei por dentro e foi pelo bem dos cachorrinhos!


Outro prato que não pedi e merece destaque foi as costelas com batatas do Melograno (R$20): estavam bem macias, se desfaziam ao menor toque e veio com muita batata e alho só porque citamos que a minha sobrinha gostava (eles eram todos muito simpáticos!). Para ser perfeita só faltou ter um molho menos doce! O lanche de costela desfiada e vinagrete também estava bem bom.


Recomendo muito que, se puderem, frequentem as próximas edições porque é por uma boa causa e a comida é sensacional!  A dica do dia é tentar ir no almoço ou um pouco depois pois há o risco de algumas coisas acabarem, como a limonada com maçã verde de um carro de sucos (minha sobrinha comprou a última e era ótima, doía os lados do rosto!).


Ficha feliz:
  • Satisfação da gordinha: saiu feliz e ainda ajudou cachorrinhos!
  • Preju: R$41
  • Unidade visitada: 
    • Praça Charles Miller s/n 
    • Estacionamento do Estádio do Pacaembu
  • Horário de funcionamento: domingo, das 11:00 às 21:00
  • Visa vale? Não e em algumas barracas só era aceito dinheiro
  • Site: http://www.facebook.com/eventodobem

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Receita: Chá de Pobá

Era para ser divertido e gostoso... mas não foi bem assim. Estragamos muita coisa, arriscamos muito e no fim... eu nem gosto de pobá no chá porque aquelas bolinhas me dão nervoso, haha. Ainda acho mais fácil comprar pronto na Liberdade mesmo! 

Nível de dificuldade: médio, se a gente soubesse das instruções antes Porção: com o que sobrou do que deu certo, 4 copos grandes 
Ingredientes: 1 xícara (chá) de bolinhas de tapioca 2 xícaras (chá) de água 1/4 de xícara (chá de mel)1 xícara (chá) de açúcar mascavoLeite, creme de leite ou leite condensado à gostoChá preto forteAçúcar, mel ou frutose para adoçar
Modo de preparo simples: Cozinhe as bolinhas de pobá e reserve. Enquanto isso aqueça a água e acrescente o mel e o açúcar mascavo. Deixe a mistura esfriar e jogue as bolinhas. Monte em um copo as bolinhas coadas, o chá, o leite, o gelo e adoce à gosto. 
Modo de preparo com dificuldades da vida:  A únicas bolinhas que encontramos para vender na Liberdade eram branquinhas (na Casas Bueno, não est…

Outback

Siiim! Finalmente um post sobre o lendário Outback, diretamente da minha unidade favorita! Wow, comecei o ano escrevendo muita coisa que estava devendo para minha consciência gordinha, que alegria!
Sei que o lugar dispensa apresentações: bacanudo, atendimento eficiente, comida boa e engordativa, filas insanas e a conta um pouco salgada. Mas acho que vale muito a pena reforçar tudo isso, além de expor algumas técnicas de sobrevivência que nunca caem de moda, aiquifodis.

A primeira delas é tentar chegar lá o mais cedo possível e com metade das pessoas que se sentarão com você presentes. Se algum destes itens faltar, é sentar e esperar, e muito. Em minha última visita, fui com a minha irmã e sobrinha um pouco depois que a casa abriu para o jantar em uma terça-feira, às 17:45. Às 18:30 resolvemos olhar um pouco a nossa volta e todas as mesas estavam ocupadas, é coisa de louco.


Começamos os trabalhos pedindo os clássicos Iced tea, servidos em caneconas estilosas (cujo modelo mudou desde o…

Doces Dulce

Mais uma dica de bairro feliz na área. Este vale a pena porque, pelo menos aqui em casa, a gente tinha um problemão para encontrar docinhos de festa de qualidade e em quantidades menores que 100. Geralmente os lugares ou pessoas só fazem muitos para festas e buffets e às vezes, justamente por causa da quantidade, não são tão gostosos. Para piorar, minha família não é muito grande e a gente também tem vontade de comer essas coisinhas sem ter um motivo de comemoração específico.


Em uma ruazinha meio escondida, apagada por causa de um supermercado que fica em frente, encontra-se um mini paraíso do doces felizes, o Doces Dulce. Olhando para a fachada ninguém dá nada, mas logo na entrada você é recepcionado por várias bandejas de doces gritando "Eu! Me leva! Uhul!".


O preço delas varia pouco (de 9 a 10 mangos de puro deleite) e tem brigadeiro, beijinho, cajuzinho, camafeu, quindim, olho de sogra, queijadinha, trufas, bombons e outros que eu nem sei o nome. Algumas são mistas e, c…