Pular para o conteúdo principal

Madhu

Eu já tinha ido no Madhu outras vezes, mas fiquei com uma saudade intensa das samosas e acabei voltando um dia por pura gula de fim-de-dia-comprido-de-trampo-e-aula.

O Madhu é uma espécie de “fast food indiano”, que fica ali na Rua Augusta, próximo à esquina com a Rua Antônio Carlos, a esquina do famoso Charm da Augusta. Espécie de fast food, porque na real, você senta e faz o pedido e ele demora bastante pra chegar, tipo um Habib’s. O atendimento flutua entre meia boca e atencioso, dependendo do dia e da fase da lua. No dia em que eu fui, já era quase dez da noite e aparentemente o pessoal queria fechar cedo, então antes mesmo de eu terminar a refeição eles já tinham abaixado aquela porta de ferro tipo garagem. Super legal.

Mas o que é fodis é que a comida de lá é muito gostosa. Tipo, MUITO gostosa.

Pedi um combo Chicken Curry, que vem com curry de frango (duh), e várias opções: entre arroz ou appam (uma massa de arroz com coco); entre um monte de snacks, que são bem típicos e em geral deliciosos; e entre tipos de chutney pra molhar os snacks, e o pãozinho chato que vem junto (ele é chato de achatado, não de mala rs)

Como eu comentei, fui lá por causa das samosas vegetarianas, que são uma espécie de pastéis com recheio de batata, ervilha, e um monte de tempero delicioso, e que honestamente dá pra comer só aquilo e ficar feliz. O curry também estava excelente, mas claro, é bom notar que é bem diferente de karê japonês e tal – mas é igualmente bom.

No saldo final, aquela experiência agridoce, como muita da culinária indiana, até: comida deliciosa, de sair satisfeitíssimo; mas atendimento meia boca, e um preço talvez ligeiramente caro demais prum troço que parece um fast-food.

Destaque adicional para as músicas indianas pop que tocam, e pra televisãozinha passando videoclipes Bollywood que são sempre engraçadíssimos né.


Ficha feliz:
  • Satisfação do gordinho: saiu rolando por baixo da porta de metal semi-aberta
  • Preju: R$30 ¯\_(ツ)_/¯
  • Unidade visitada:
    • Rua Augusta, 1422 - Cerqueira César
    • (11) 3262-5535
  • Horário de funcionamento: 
    • Segunda a Quarta, das 12:00 às 22:30 
    • Quinta, das 12:00 às 23:30
    • Sexta, das 12:00 às 00:30
    • Sábado, das 13:00 às 01:00
    • Domingo, das 13:00 às 22:30
  • Site para maiores informações: http://www.madhurestaurante.com.br

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Receita: Chá de Pobá

Era para ser divertido e gostoso... mas não foi bem assim. Estragamos muita coisa, arriscamos muito e no fim... eu nem gosto de pobá no chá porque aquelas bolinhas me dão nervoso, haha. Ainda acho mais fácil comprar pronto na Liberdade mesmo! 

Nível de dificuldade: médio, se a gente soubesse das instruções antes Porção: com o que sobrou do que deu certo, 4 copos grandes 
Ingredientes: 1 xícara (chá) de bolinhas de tapioca 2 xícaras (chá) de água 1/4 de xícara (chá de mel)1 xícara (chá) de açúcar mascavoLeite, creme de leite ou leite condensado à gostoChá preto forteAçúcar, mel ou frutose para adoçar
Modo de preparo simples: Cozinhe as bolinhas de pobá e reserve. Enquanto isso aqueça a água e acrescente o mel e o açúcar mascavo. Deixe a mistura esfriar e jogue as bolinhas. Monte em um copo as bolinhas coadas, o chá, o leite, o gelo e adoce à gosto. 
Modo de preparo com dificuldades da vida:  A únicas bolinhas que encontramos para vender na Liberdade eram branquinhas (na Casas Bueno, não est…

Outback

Siiim! Finalmente um post sobre o lendário Outback, diretamente da minha unidade favorita! Wow, comecei o ano escrevendo muita coisa que estava devendo para minha consciência gordinha, que alegria!
Sei que o lugar dispensa apresentações: bacanudo, atendimento eficiente, comida boa e engordativa, filas insanas e a conta um pouco salgada. Mas acho que vale muito a pena reforçar tudo isso, além de expor algumas técnicas de sobrevivência que nunca caem de moda, aiquifodis.

A primeira delas é tentar chegar lá o mais cedo possível e com metade das pessoas que se sentarão com você presentes. Se algum destes itens faltar, é sentar e esperar, e muito. Em minha última visita, fui com a minha irmã e sobrinha um pouco depois que a casa abriu para o jantar em uma terça-feira, às 17:45. Às 18:30 resolvemos olhar um pouco a nossa volta e todas as mesas estavam ocupadas, é coisa de louco.


Começamos os trabalhos pedindo os clássicos Iced tea, servidos em caneconas estilosas (cujo modelo mudou desde o…

Doces Dulce

Mais uma dica de bairro feliz na área. Este vale a pena porque, pelo menos aqui em casa, a gente tinha um problemão para encontrar docinhos de festa de qualidade e em quantidades menores que 100. Geralmente os lugares ou pessoas só fazem muitos para festas e buffets e às vezes, justamente por causa da quantidade, não são tão gostosos. Para piorar, minha família não é muito grande e a gente também tem vontade de comer essas coisinhas sem ter um motivo de comemoração específico.


Em uma ruazinha meio escondida, apagada por causa de um supermercado que fica em frente, encontra-se um mini paraíso do doces felizes, o Doces Dulce. Olhando para a fachada ninguém dá nada, mas logo na entrada você é recepcionado por várias bandejas de doces gritando "Eu! Me leva! Uhul!".


O preço delas varia pouco (de 9 a 10 mangos de puro deleite) e tem brigadeiro, beijinho, cajuzinho, camafeu, quindim, olho de sogra, queijadinha, trufas, bombons e outros que eu nem sei o nome. Algumas são mistas e, c…