Pular para o conteúdo principal

A Chapa

Cupons demais, mudanças de planos no trabalho e eu tive que ir no A Chapa sozinha. Não curto comer sem ter alguém pra jogar papo fora enquanto os pedidos não chegam ou ainda não ter outro prato para roub... digo, degustar além do meu.  Por outro lado, a experiência não foi tão ruim assim. Perdi mais tempo batendo fotos, tendo mais opções para escolher para o post (não que tenham ficado aquelas maravilhas, não sou lá muito boa nisso) e filosofando sobre o sabor da comida. Essa parte foi meio doida demais e vou poupá-los dos detalhes sórdidos.


Logo que entrei no recinto, o visual impressiona. Tudo muito arrumadinho e limpo, uma decoração bem clean. As janelas frontais são como vitrines e, juntamente com o teto, aproveitam muito bem a iluminação externa (viram como estar sozinha me fez reparar em muita coisa doida?!). Fui durante a semana, no auge do horário do almoço e mesmo assim estava tudo tranquilo. Escolhi uma mesa com sofazinho para 4 pessoas só para mim, hoho!


Apesar de não ter alguém recepcionando na porta, fui atendida assim que me sentei e correu tudo muito bem. Não havia muitos atendentes, só 3 e eles ainda cuidavam dos preparos para as entregas delivery, mas mesmo assim estavam bem atentos, vinham à minha mesa prontamente e o pedido chegou bem rápido.

Minha escolha (vulgo o que o cupom dizia) foi um Cheese Salada. Quando nos vimos pela primeira vez, não esperava que ele fosse tão alto. Até fiquei preocupada em como iria comê-lo sem encher a minha cara de maionese, só que essa altura toda era só fachada, era fácil de morder. A carne era bem fina, normal, sem grandes atrativos, assim como o pão, que era bem o padrão mesmo. A salada veio farta, os tomates estavam ótimos, a alface sem aqueles talos enormes com gosto de terra que eu tanto odeio e a fartura de maionese deu mais emoção.


Abri mão das batatinhas para pedir uma sobremesa. Lembram do post que eu fiz sobre o polar splash deles? Pois é, o lado gordinha gritou por doce e eu tive que obedecer. Pedi um Oreo Sundae, que consistia em uma bola de sorvete de creme (poderia ser de qualquer sabor, eu preferi manter o padrão), com cobertura de chocolate e bolacha Oreo quebrada. Na verdade era Negresco, mas as duas são quase iguais e eu gosto dessa, hehe. Estava muito bom, só poderia ter mais bolacha, ou ter mais pedacinhos misturados no sorvete.


O problema mesmo veio depois, porque eu fiquei muito cheia, a taça do Oreo Sundae era maior do que eu esperava e ainda tive que andar de lá até a estação Paulista do metrô. Pelo menos fui queimando uma parte das caloridas adquiriadas!


Post relacionado:
A Chapa: parada para uma sobremesa


Ficha feliz:
  • Satisfação da gordinha: saiu muito cheia e satisfeita, mas não pode rolar porque era uma subida 
  • Preju: sem o cupom ficaria em torno de R$30,00, com bebida e 10%, wow!
  • Unidade visitada:
    • Rua Dr. Melo Alves, 238 
    • (11) 3085-0521
  • Horário de funcionamento:
    • Segunda à quinta e domingo, das 12:00 às 1:30
    • Sexta e sábado, das 12:00 às 3:00
  • Lotação: 160 lugares
  • Formas de pagamento: aceita cartões, VRs mas não aceita cheques 
  • Site para maiores informações: http://www.achapa.com.br

Comentários

  1. Faz tempo que não vou no Achapa...no último fim de semana fui comer no Yokoyama (no da Lins de Vasconcelos) e bem ao lado tem um Achapa...fiquei tentado mas já tinha comido muito pastel...rs...

    Gosto o Oreo Shake...

    Ps.: pena que vc nao conseguiu ir na Boutique Nespresso...eles fecham de feriado mesmo. Eu dei uma passada na segunda que foi véspera mas estava funcionando normalmente...tenta ir de novo que vale a pena...

    ResponderExcluir
  2. Esse sorvete é sacanagem da grossa, viu? ;o)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Receita: Chá de Pobá

Era para ser divertido e gostoso... mas não foi bem assim. Estragamos muita coisa, arriscamos muito e no fim... eu nem gosto de pobá no chá porque aquelas bolinhas me dão nervoso, haha. Ainda acho mais fácil comprar pronto na Liberdade mesmo! 

Nível de dificuldade: médio, se a gente soubesse das instruções antes Porção: com o que sobrou do que deu certo, 4 copos grandes 
Ingredientes: 1 xícara (chá) de bolinhas de tapioca 2 xícaras (chá) de água 1/4 de xícara (chá de mel)1 xícara (chá) de açúcar mascavoLeite, creme de leite ou leite condensado à gostoChá preto forteAçúcar, mel ou frutose para adoçar
Modo de preparo simples: Cozinhe as bolinhas de pobá e reserve. Enquanto isso aqueça a água e acrescente o mel e o açúcar mascavo. Deixe a mistura esfriar e jogue as bolinhas. Monte em um copo as bolinhas coadas, o chá, o leite, o gelo e adoce à gosto. 
Modo de preparo com dificuldades da vida:  A únicas bolinhas que encontramos para vender na Liberdade eram branquinhas (na Casas Bueno, não est…

Outback

Siiim! Finalmente um post sobre o lendário Outback, diretamente da minha unidade favorita! Wow, comecei o ano escrevendo muita coisa que estava devendo para minha consciência gordinha, que alegria!
Sei que o lugar dispensa apresentações: bacanudo, atendimento eficiente, comida boa e engordativa, filas insanas e a conta um pouco salgada. Mas acho que vale muito a pena reforçar tudo isso, além de expor algumas técnicas de sobrevivência que nunca caem de moda, aiquifodis.

A primeira delas é tentar chegar lá o mais cedo possível e com metade das pessoas que se sentarão com você presentes. Se algum destes itens faltar, é sentar e esperar, e muito. Em minha última visita, fui com a minha irmã e sobrinha um pouco depois que a casa abriu para o jantar em uma terça-feira, às 17:45. Às 18:30 resolvemos olhar um pouco a nossa volta e todas as mesas estavam ocupadas, é coisa de louco.


Começamos os trabalhos pedindo os clássicos Iced tea, servidos em caneconas estilosas (cujo modelo mudou desde o…

Surah

Pelo mesmo amigo que nos levou ao Miss Korea, conhecemos o Surah, que também é um lugar de churrasco coreano só que desta vez mais perto de casa e com um esquema muito mais em conta: 30 dólares por pessoa e podendo comer tudo à vontade - inclusive dá para ser o maluquinho dos frutos do mar e se entupir só de camarão, coisa que não faço porque tenho preguiça de tirar a casca de todos e vamos combinar que uma carne fritinha é muito mais interessante, hehe.


O ambiente é todo coreano, inclusive as músicas, e foi muito bom ter novamente alguém que sabia o que pedir e ainda pedir no idioma original, haha. Há muitas mesas, muita conversa e mesmo assim os funcionários se desdobravam para atender todos. O difícil deste tipo de lugar é que eles precisam ficar de olho nas carnes das grelhas de todas as mesas, se estão boas, se precisam ser repostas, cortadas, etc. A gente não se importava de cuidar da nossa própria carne e mesmo assim sempre alguém aparecia para cuidar da nossa grelha.


Além das…