Pular para o conteúdo principal

Restaurant Week: Emprestado [fechado]

Gostaria de ter tentado mais, mas o Emprestado foi o segundo e último restaurante que testei no Restaurant Week. Aliás esse nome é muito esquisito quando você fala para os outros que foi nele ou recomenda: "fui no Emprestado" ou "o Emprestado é muito bom". Não é comum lugares com nome de verbos!


O lugar não é nada grande, a fachada é discretinha e fica em uma parte pouco movimentada de Pinheiros. A decoração tem um elemento ou outro que remete à cultura brasileira feliz, mas o que chama a atenção mesmo é a baita TV de LCD fixada na parede, hehe. O atendimento foi bom, eficiente e os pedidos eram transmitidos para a cozinha através de um sistema eletrônico, muito moderno!

Touchscreen!
No dia e horário que fomos (almoço durante a semana), o restaurante também oferecia muitos pratos por R$25,00 que ainda eram acompanhados de entrada e sobremesa! Vale muito à pena e só pedi o menu RW porque estava muito curiosa por ambas as opções, mas o namorado gostou mais do cardápio regular.
Escolhi de entrada os pastéis de palmito de açaí, que estavam na medida certa e muito bem recheados e temperados.


O prato principal foi o Peixe com banana: peixe grelhado (jura? hehe) com palha de alho poró feliz, banana e arroz com  amêndoas. Muito bem servido e preparado, achei que as palhas iriam atrapalhar mas elas acrescentavam um gosto bom ao peixe. A banana com o peixe também me surpreendeu, ja que eu não sou muito fã do gênero agridoce, muito menos quando se trata de frutas! Mesmo assim não consegui comer todas as bananas. Não sei, chegou um momento em que a boca ficou mais doce que deveria.


De sobremesa, pudim de leite com goiabada. Deveria ter pedido para tirarem a goiabada, deixou tudo muito doce demais e, como eu já estava pra lá de satisfeita, não consegui comer tudo. Acreditam!?

Parece um pedacico de nada e era mesmo! E sobrou mesmo assim =(
Namorado pediu o Trem Bão, melhor representado pela foto que pela descrição legal que vou fazer agora: arroz com carne seca, paio, feijão tropeiro, queijo coalho, ovo e pimentinhas biquinho que tinham gosto de vinagre. Roubei um pouco dele e estava muito bom. Também teve torradas com patê de frango de entrada e o brigadeiro de colher com uma pitadinha de castanhas moídas, muito bons também só que a sobremesa dele também sobrou na mesa.

Parece efeito, mas foi só o dedo do namorado
que passou na frente da câmera na hora da foto =)
Outra coisa muito legal que ele pediu foi o suco verde delícia: água de coco, maçã, limão e gengibre. Sim, ele é destemido e, ao contrário de mim, não tem medo de gengibre. No fim nem precisava porque não encontramos nem o rastro do gosto dele - logo estava muito bom, hehehe.

Geralmente eu descarto logo de cara os restaurantes com comida brasileira enquanto escolho que lugar vou no RW porque preferia ir em lugares com comidas que fossem completamente novas para mim. Depois desta visita ao Emprestado, descobri que é possível ser diferente usando ingredientes super conhecidos para criar pratos diferentes e gostosos. Sempre é bom derrubar preconceitozinhos!

Ficha feliz:
  • Satisfação da gordinha: saiu rolando feliz porém com culpa do desperdício da sobremesa
  • Preju: R$40,00
  • Unidade visitada: 
    • Rua Mourato Coelho , 992 - Vila Madalena / Pinheiros
    • (11) 3034-0214
  • Horário de funcionamento: 
    • Terça à Sexta, das 12:00 às 15:30 e das 19:00 às 0:00 
    • Sábado, das 12:00 às 17:00 e das 19:00 às 0:00
    • Domingo, das 12:00 às 17:00
  • Lotação: 70 pessoas
  • E-mail: emprestado@emprestadorestaurante.com.br
  • Site para maiores informações: http://www.emprestadorestaurante.com.br

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Receita: Chá de Pobá

Era para ser divertido e gostoso... mas não foi bem assim. Estragamos muita coisa, arriscamos muito e no fim... eu nem gosto de pobá no chá porque aquelas bolinhas me dão nervoso, haha. Ainda acho mais fácil comprar pronto na Liberdade mesmo! 

Nível de dificuldade: médio, se a gente soubesse das instruções antes Porção: com o que sobrou do que deu certo, 4 copos grandes 
Ingredientes: 1 xícara (chá) de bolinhas de tapioca 2 xícaras (chá) de água 1/4 de xícara (chá de mel)1 xícara (chá) de açúcar mascavoLeite, creme de leite ou leite condensado à gostoChá preto forteAçúcar, mel ou frutose para adoçar
Modo de preparo simples: Cozinhe as bolinhas de pobá e reserve. Enquanto isso aqueça a água e acrescente o mel e o açúcar mascavo. Deixe a mistura esfriar e jogue as bolinhas. Monte em um copo as bolinhas coadas, o chá, o leite, o gelo e adoce à gosto. 
Modo de preparo com dificuldades da vida:  A únicas bolinhas que encontramos para vender na Liberdade eram branquinhas (na Casas Bueno, não est…

Outback

Siiim! Finalmente um post sobre o lendário Outback, diretamente da minha unidade favorita! Wow, comecei o ano escrevendo muita coisa que estava devendo para minha consciência gordinha, que alegria!
Sei que o lugar dispensa apresentações: bacanudo, atendimento eficiente, comida boa e engordativa, filas insanas e a conta um pouco salgada. Mas acho que vale muito a pena reforçar tudo isso, além de expor algumas técnicas de sobrevivência que nunca caem de moda, aiquifodis.

A primeira delas é tentar chegar lá o mais cedo possível e com metade das pessoas que se sentarão com você presentes. Se algum destes itens faltar, é sentar e esperar, e muito. Em minha última visita, fui com a minha irmã e sobrinha um pouco depois que a casa abriu para o jantar em uma terça-feira, às 17:45. Às 18:30 resolvemos olhar um pouco a nossa volta e todas as mesas estavam ocupadas, é coisa de louco.


Começamos os trabalhos pedindo os clássicos Iced tea, servidos em caneconas estilosas (cujo modelo mudou desde o…

Surah

Pelo mesmo amigo que nos levou ao Miss Korea, conhecemos o Surah, que também é um lugar de churrasco coreano só que desta vez mais perto de casa e com um esquema muito mais em conta: 30 dólares por pessoa e podendo comer tudo à vontade - inclusive dá para ser o maluquinho dos frutos do mar e se entupir só de camarão, coisa que não faço porque tenho preguiça de tirar a casca de todos e vamos combinar que uma carne fritinha é muito mais interessante, hehe.


O ambiente é todo coreano, inclusive as músicas, e foi muito bom ter novamente alguém que sabia o que pedir e ainda pedir no idioma original, haha. Há muitas mesas, muita conversa e mesmo assim os funcionários se desdobravam para atender todos. O difícil deste tipo de lugar é que eles precisam ficar de olho nas carnes das grelhas de todas as mesas, se estão boas, se precisam ser repostas, cortadas, etc. A gente não se importava de cuidar da nossa própria carne e mesmo assim sempre alguém aparecia para cuidar da nossa grelha.


Além das…