Pular para o conteúdo principal

Eataly

Concordo plenamente! ^^
A definição básica do Eataly (aliás, trocadilho legal hein, hein?) seria um cantinho em New York onde juntaram muitas coisas italianas boas juntas. No mesmo espaço, é possível encontrar mini restaurantes temáticos; quiosques de sorvetes e café; mini padarias e docerias e entre eles prateleiras e geladeiras com produtos importados à venda. Praticamente um pedacinho do céu. Pena que esse pedacinho estava cheio de gente e era bem complicado andar de um lado para o outro para conhecer o que o lugar tinha de legal para nos oferecer.


Fomos almoçar tarde, já eram mais de 3 horas da tarde, e ainda assim tivemos que encarar uma fila de espera de quase 40 minutos no restaurante de massas (sim, os outros estavam mais acessíveis, mas como era a primeira vez que estava lá, eu queria mesmo era comer massaaaa). Como meu estômago estava colado nas costas, fomos tomar um sorvete para enganá-lo e matar tempo. Namorado disse que o de pistache era muito bom, só que desta vez eu escolhi um sorbet de banana com chocolate chips. Muito bom, refrescante e com o sabor da fruta muito próximo do natural. Sem contar a bitela de chocolate que havia no meu pote que era grandinha demais para ser chamada de chip, hoho!


O cardápio não oferece muita variedade mas tinha muita coisa que parecia ser boa. De entrada tivemos um couvert cortesia de pão italiano (que vem embrulhado em papel, muito legal) com azeite e água à vontade.


Eu pedi uma Pasta al forno al pesto, que era uma lasanha de forno com molho pesto e bechamel Sensacional! Tinha um gosto bem marcante, a variedade de sabores ali era bem interessante. Pena que não vinha com mais molho, mas acho que já disse por aqui, isso é uma opinião bem pessoal.


O namorado foi de Rigatone al ragú di salciccia, que era quase um penne com molho de tomate um pouco adocicado, queijo e escarola. O sabor era mais simples, mas bem executado. O que mais me marcou nele foi o ponto da massa, que estava al dente bem certinho. (parece ser normal mas eu sempre acho muito legal quando acertam isso, hehe)


Não contentes com as massas e com a desculpa que precisaríamos jantar, fomos na ala La Piazza porque o namorado estava com vontade de experimentar a tábua de frios deles desde a primeira vez que ele visitou o Eataly. A gente teve que perguntar para um dos funcionários que corria para lá e para cá como funcionava o lugar e a coisa era bem mais simples e brutal do que esperávamos: era só conseguir espaço em uma das mesas, onde todo mundo ficava em pé, para ser atendido.

Tivemos sorte, conseguimos o nosso cantinho até que em pouco tempo e pedimos a tal tábua. Ficamos novamente satisfeitos com nosso pedido, estava tudo muito bom e um dos presuntos (que infelizmente não sei o nome) estava demais. Os queijos também estavam muito bons, mas sou suspeita para opinar porque eu AMO queijo e nunca acho que eles estão em excesso. Ah sim, a tábua era acompanhada pelo embrulhinho de pão italiano de novo e de um prato com umas conservas doces estranhas que, para mim, não combinavam com nada.


Infelizmente não conseguimos comprar nada para levar para casa porque ainda íamos andar pela cidade. Para a próxima visita, com certeza compraremos uma focaccia gigante ou um pão lindão.


Ficha feliz:
  • Satisfação da gordinha: saiu rolando feliz e com vontade de levar algo pra casa por pura gordice
  • Preju: em duas pessoas, duas refeições, em torno de $80
  • Unidade visitada:
    • 200 5th Avenue - New York, NY
    • (212) 229-2560
  • Horário de funcionamento:
    • Todos os dias, das 10:00 às 23:00
    • Os restaurantes e quiosques possuem horários próprios
  • Site para maiores informações: http://eatalyny.com

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Receita: Chá de Pobá

Era para ser divertido e gostoso... mas não foi bem assim. Estragamos muita coisa, arriscamos muito e no fim... eu nem gosto de pobá no chá porque aquelas bolinhas me dão nervoso, haha. Ainda acho mais fácil comprar pronto na Liberdade mesmo! 

Nível de dificuldade: médio, se a gente soubesse das instruções antes Porção: com o que sobrou do que deu certo, 4 copos grandes 
Ingredientes: 1 xícara (chá) de bolinhas de tapioca 2 xícaras (chá) de água 1/4 de xícara (chá de mel)1 xícara (chá) de açúcar mascavoLeite, creme de leite ou leite condensado à gostoChá preto forteAçúcar, mel ou frutose para adoçar
Modo de preparo simples: Cozinhe as bolinhas de pobá e reserve. Enquanto isso aqueça a água e acrescente o mel e o açúcar mascavo. Deixe a mistura esfriar e jogue as bolinhas. Monte em um copo as bolinhas coadas, o chá, o leite, o gelo e adoce à gosto. 
Modo de preparo com dificuldades da vida:  A únicas bolinhas que encontramos para vender na Liberdade eram branquinhas (na Casas Bueno, não est…

Outback

Siiim! Finalmente um post sobre o lendário Outback, diretamente da minha unidade favorita! Wow, comecei o ano escrevendo muita coisa que estava devendo para minha consciência gordinha, que alegria!
Sei que o lugar dispensa apresentações: bacanudo, atendimento eficiente, comida boa e engordativa, filas insanas e a conta um pouco salgada. Mas acho que vale muito a pena reforçar tudo isso, além de expor algumas técnicas de sobrevivência que nunca caem de moda, aiquifodis.

A primeira delas é tentar chegar lá o mais cedo possível e com metade das pessoas que se sentarão com você presentes. Se algum destes itens faltar, é sentar e esperar, e muito. Em minha última visita, fui com a minha irmã e sobrinha um pouco depois que a casa abriu para o jantar em uma terça-feira, às 17:45. Às 18:30 resolvemos olhar um pouco a nossa volta e todas as mesas estavam ocupadas, é coisa de louco.


Começamos os trabalhos pedindo os clássicos Iced tea, servidos em caneconas estilosas (cujo modelo mudou desde o…

Surah

Pelo mesmo amigo que nos levou ao Miss Korea, conhecemos o Surah, que também é um lugar de churrasco coreano só que desta vez mais perto de casa e com um esquema muito mais em conta: 30 dólares por pessoa e podendo comer tudo à vontade - inclusive dá para ser o maluquinho dos frutos do mar e se entupir só de camarão, coisa que não faço porque tenho preguiça de tirar a casca de todos e vamos combinar que uma carne fritinha é muito mais interessante, hehe.


O ambiente é todo coreano, inclusive as músicas, e foi muito bom ter novamente alguém que sabia o que pedir e ainda pedir no idioma original, haha. Há muitas mesas, muita conversa e mesmo assim os funcionários se desdobravam para atender todos. O difícil deste tipo de lugar é que eles precisam ficar de olho nas carnes das grelhas de todas as mesas, se estão boas, se precisam ser repostas, cortadas, etc. A gente não se importava de cuidar da nossa própria carne e mesmo assim sempre alguém aparecia para cuidar da nossa grelha.


Além das…