Pular para o conteúdo principal

16º Festival do Japão

Como é de costume, sempre faço um post anual sobre meus eventos gordinhos favoritos!
Este ano até chegamos relativamente cedo no Festival do Japão, era mais ou menos 11 horas e já estava respeitosamente cheio! O suficiente para pegar uma fila chata em muita coisa que queria comer. No fim perdi tanto tempo e desanimei tanto que nem andei muito para olhar o que tinha em cada barraca. Apenas vi minhas anotações, ia lá, olhava a fila e resolvia se encarava ou não. =/

As gordices deste ano foram:

• Espetinho de shimeji com bacon (de Gifu): um clássico do festival, primeiro item da lista, sempre abre os trabalhos com estilo. E o medo de acabar? hahahaha
Preço: R$8 e pagaria o preço que fosse
Lembrete para o próximo ano: puxa, nem precisa, eu já sei! xD

• Suco de maçã (de Aomori): que maravilha, que felicidade, que tudibom! Melhor suco de maçã que já tomei! Aliás bebi bastante pra aproveitar a ocasião, hehe. Só foi um pouco complicado beber suco congelado, mas ao mesmo tempo foi bem emocionante! Ah, eles estavam vendendo a versão pasteurizada também, que é boa mas não tanto quanto a natural.
Preço: R$15 o litro
Lembrete para o próximo ano: o mupy estava com o mesmo preço do ano passado, ou seja, não foi negócio. Sim, esta é realmente a minha bebida oficial do evento, haha! (se a grana tiver curta, não esquecer dos sucos naturais vendidos na parte do galpão!)

• Udon (de Iwate): tive a impressão que havia mais barracas com udon este ano, mas como estava com preguiça de pesquisar, comprei o de Iwate que era garantia de sucesso, estava do lado da barraca de Aomori e ainda aceitava cartão de débito, uhul! Fora a conveniência, o sabor realmente não decepcionou: tanto a massa quanto o molho estavam ótimos! Poderia repetir se não tivesse tantas outras opções disponíveis, heh.
Preço: R$14
Lembrete para o próximo ano: será que tento outro lugar novo? Ó dúvida cruel... 

• Gyozas (de Iwate): estavam ótimos, tamanho decente, recheio bacana e o mesmo preço do ano passado! Não é uma coisa que eu sairia pesquisando, então fiquei bem feliz com a minha escolha.
Preço: R$5 
Lembrete para o próximo ano: não comprar os de Chiba, que são menores e mais caros! 

• Gyudon de wagyu (de Tottori): este estava com uma fila beeem chata, tanto para pagar quanto para pegar. Até que valeu a pena, a carne era beeem gostosa e nunca pensei que gengibre cairia tão bem! Por mim poderia vir muito mais carne, pena que ficaria mais caro! Ah, tinha muito gohan também, no fim isso detonou a minha fome. 
Preço: R$20
Lembrete para o próximo ano: já experimentei, ok, não preciso de repeteco

• Lulas grelhadas (de Hokkaido): finalmente comprei algo estiloso de Hokkaido, uhul! A fila para pagar estava uma nhaca e ainda precisava esperar meia hora para o bicho ficar pronto! Enfim, achei ótimo, a lula estava bem molinha e nada borrachuda, o gostinho do grelhado dava um tchananam a mais... mas faltou gohan. O que sobrou no wagyu faltou na lula, haha! E faltou feio, a ponto de não conseguir comer tudo! Tive que terminá-la em casa, com gohan e shoyu. Aí sim ficou perfeito!
Preço: R$18
Lembrete para o próximo ano: curiosidade sanada, vamos explorar algo diferente! 

Ainda faltam experimentar o lamen de Fukushima (que ficou na vontade desde o ano passado e neste ano a fila estava impossível de ser encarada) e o okonomiyaki de Wakayama (estava realmente cansada, nem sei qual era a situação da barraca!). Espero que ano que vem tenha alguma novidade estranha legal para incluir nesta lista!

Fiz a lição de casa, mas este ano nem precisava de tanto preparo. Quer dizer, foi bom ter lido e escolhido o que queria antes, mas na entrada estavam distribuindo folhetos com a relação de comida de todas as barracas e um mapão de tudo. FINALMENTE!!!  

Na hora de ir embora parecia que todo mundo resolveu ir ao mesmo tempo! Foi bem chato para conseguir sair e uma fila absurda para pegar o ônibus (sorte que não precisei, hehe). Acho que ano que vem vou ter que chegar lá mais cedo ainda, junto com as bachans!

Post relacionado: 15º Festival do Japão


Ficha feliz:
  • Satisfação da gordinha: saiu feliz, cheia e cansada, pra variar
  • Preju: perdi as contas porque dividi algumas coisas, mas é sempre em torno de R$50
  • Endereço: 
    • Centro de Exposições Imigrantes
    • Rodovia dos Imigrantes km 1,5
    • Se achar muito difícil, utilize os ônibus que saem da estação Jabaquara gratuitamente
  • Horário de funcionamento: foi nos dias 19, 20 e 21 de julho
  • Site: www.festivaldojapao.com

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Receita: Chá de Pobá

Era para ser divertido e gostoso... mas não foi bem assim. Estragamos muita coisa, arriscamos muito e no fim... eu nem gosto de pobá no chá porque aquelas bolinhas me dão nervoso, haha. Ainda acho mais fácil comprar pronto na Liberdade mesmo! 

Nível de dificuldade: médio, se a gente soubesse das instruções antes Porção: com o que sobrou do que deu certo, 4 copos grandes 
Ingredientes: 1 xícara (chá) de bolinhas de tapioca 2 xícaras (chá) de água 1/4 de xícara (chá de mel)1 xícara (chá) de açúcar mascavoLeite, creme de leite ou leite condensado à gostoChá preto forteAçúcar, mel ou frutose para adoçar
Modo de preparo simples: Cozinhe as bolinhas de pobá e reserve. Enquanto isso aqueça a água e acrescente o mel e o açúcar mascavo. Deixe a mistura esfriar e jogue as bolinhas. Monte em um copo as bolinhas coadas, o chá, o leite, o gelo e adoce à gosto. 
Modo de preparo com dificuldades da vida:  A únicas bolinhas que encontramos para vender na Liberdade eram branquinhas (na Casas Bueno, não est…

Outback

Siiim! Finalmente um post sobre o lendário Outback, diretamente da minha unidade favorita! Wow, comecei o ano escrevendo muita coisa que estava devendo para minha consciência gordinha, que alegria!
Sei que o lugar dispensa apresentações: bacanudo, atendimento eficiente, comida boa e engordativa, filas insanas e a conta um pouco salgada. Mas acho que vale muito a pena reforçar tudo isso, além de expor algumas técnicas de sobrevivência que nunca caem de moda, aiquifodis.

A primeira delas é tentar chegar lá o mais cedo possível e com metade das pessoas que se sentarão com você presentes. Se algum destes itens faltar, é sentar e esperar, e muito. Em minha última visita, fui com a minha irmã e sobrinha um pouco depois que a casa abriu para o jantar em uma terça-feira, às 17:45. Às 18:30 resolvemos olhar um pouco a nossa volta e todas as mesas estavam ocupadas, é coisa de louco.


Começamos os trabalhos pedindo os clássicos Iced tea, servidos em caneconas estilosas (cujo modelo mudou desde o…

Surah

Pelo mesmo amigo que nos levou ao Miss Korea, conhecemos o Surah, que também é um lugar de churrasco coreano só que desta vez mais perto de casa e com um esquema muito mais em conta: 30 dólares por pessoa e podendo comer tudo à vontade - inclusive dá para ser o maluquinho dos frutos do mar e se entupir só de camarão, coisa que não faço porque tenho preguiça de tirar a casca de todos e vamos combinar que uma carne fritinha é muito mais interessante, hehe.


O ambiente é todo coreano, inclusive as músicas, e foi muito bom ter novamente alguém que sabia o que pedir e ainda pedir no idioma original, haha. Há muitas mesas, muita conversa e mesmo assim os funcionários se desdobravam para atender todos. O difícil deste tipo de lugar é que eles precisam ficar de olho nas carnes das grelhas de todas as mesas, se estão boas, se precisam ser repostas, cortadas, etc. A gente não se importava de cuidar da nossa própria carne e mesmo assim sempre alguém aparecia para cuidar da nossa grelha.


Além das…