Pular para o conteúdo principal

Fisherman's table

Mais um que estava na lista há um tempão e eu fui conhecer cheia de expectativa (e com uma reserva básica no Grubster que ajudou muito a melhorar a conta). Dos mesmos criadores do Butcher's Market (que mania de colocar nome meio estranho ne?), o Fisherman's Table fica bem pertinho deste só que com uma pegada bem diferente: comida asiática misturada e modernada.


A decoração também não é convencional e é bem mais agradável que a do Butcher's. O atendimento foi muito bom, bem simpático, os pratos demoraram um pouco para ficarem prontos mas nunca nos deixaram sem alguma satisfação. Inclusive foram relativamente solícitos com o problema que eu tive com o meu prato (que vou contar daqui a pouquinho).


Começamos com duas entradas (o que não é recomendável para a boa saúde da conta, o problema é resistir): o Crispy rice, que é arroz crocante apimentado, que não me permitiu distinguir o que mais tinha ali. O nível de pimenta era baixo para pessoas normais, só que eu sou uma criança mimada para isso. Disseram que estava bom, mas para mim o que estava sensacional mesmo foi o Crab cake, que eram dois bolinhos de siri com catupiry. Tudo na medida, sequinho, fofinho e muito gostoso. Acompanhava um molhinho que, para mim, não era ruim, só que ele apagava um pouco a luz do principal. Acho que só ele já valeu muito a pena!


Estava muito feliz e tal e resolvi ser saudável pedindo uma salada ao invés de barriga de porco. Escolhi o Ahi tuna salad, que era atum levemente selado em ervas e pimentas com folhas, wantan crispy e vinagrete de shoyu. Reparem que em nenhum momento a descrição dizia que no tempero da salada havia alguma coisa maldita que faria a minha cara inteira arder. Parecia muuuito ser wasabi, mas a atendente me garantiu que não era. Eu nem lembro qual foi a última vez que reclamei de uma comida porque só chego nesse ponto quando não consigo comer mesmo - o que era uma pena porque fora isso estava tudo certo, principalmente o atum. Depois de um tempo, me trouxeram um bowl de salada genérica sem tempero nenhum e a essa altura dos acontecimentos a minha fome tinha sido nocauteada.

Parece inocente, mas não é
Salada genérica

As outras opções da mesa foram mais afortunadas: o Beef Steak, que eram medalhões de filé mignon com camarão grelhado, alho poró, abobrinha, berinjela, shimeji e radicchio com molho steak estava ótimo e acertaram o ponto pedido da carne mesmo ela sendo bem alta; e o filé mignon com atum selado na manteiga, molho teriyaki, alho e couve frita estava bem interessante, o atum estava muito bem preparado e parecia ser abençoado por uma corja de anjos.


Não tivemos coragem de encarar uma das sobremesas exóticas oferecidas e a conta foi bem salgada, ainda mais levando em consideração a experiência desastrosa que eu tive. Talvez eu deveria ter reclamado mais por um prato que não estava bem descrito e pedido um ressarcimento melhor, talvez eu volte para experimentar outro prato e apagar esta impressão negativa. Só que, na real, não quero muito pagar para ver.

Moral da história: não tente ser saudável, você só se ferra se andar por este caminho. xD


Ficha feliz:
  • Satisfação da gordinha: saiu com a cara ardendo 
  • Preju: R$65 
  • Unidade visitada: 
    • Rua Pedroso Alvarenga 554 - Itaim Bibi
    • (11) 3167-3605
  • Horário de funcionamento: 
    • Segunda à quinta, das 12:00 às 15:00 e das 19:00 à 0:00
    • Sábado, das 12:00 à 0:00
    • Domingo, das 12:00 às 22:45

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Receita: Chá de Pobá

Era para ser divertido e gostoso... mas não foi bem assim. Estragamos muita coisa, arriscamos muito e no fim... eu nem gosto de pobá no chá porque aquelas bolinhas me dão nervoso, haha. Ainda acho mais fácil comprar pronto na Liberdade mesmo! 

Nível de dificuldade: médio, se a gente soubesse das instruções antes Porção: com o que sobrou do que deu certo, 4 copos grandes 
Ingredientes: 1 xícara (chá) de bolinhas de tapioca 2 xícaras (chá) de água 1/4 de xícara (chá de mel)1 xícara (chá) de açúcar mascavoLeite, creme de leite ou leite condensado à gostoChá preto forteAçúcar, mel ou frutose para adoçar
Modo de preparo simples: Cozinhe as bolinhas de pobá e reserve. Enquanto isso aqueça a água e acrescente o mel e o açúcar mascavo. Deixe a mistura esfriar e jogue as bolinhas. Monte em um copo as bolinhas coadas, o chá, o leite, o gelo e adoce à gosto. 
Modo de preparo com dificuldades da vida:  A únicas bolinhas que encontramos para vender na Liberdade eram branquinhas (na Casas Bueno, não est…

Outback

Siiim! Finalmente um post sobre o lendário Outback, diretamente da minha unidade favorita! Wow, comecei o ano escrevendo muita coisa que estava devendo para minha consciência gordinha, que alegria!
Sei que o lugar dispensa apresentações: bacanudo, atendimento eficiente, comida boa e engordativa, filas insanas e a conta um pouco salgada. Mas acho que vale muito a pena reforçar tudo isso, além de expor algumas técnicas de sobrevivência que nunca caem de moda, aiquifodis.

A primeira delas é tentar chegar lá o mais cedo possível e com metade das pessoas que se sentarão com você presentes. Se algum destes itens faltar, é sentar e esperar, e muito. Em minha última visita, fui com a minha irmã e sobrinha um pouco depois que a casa abriu para o jantar em uma terça-feira, às 17:45. Às 18:30 resolvemos olhar um pouco a nossa volta e todas as mesas estavam ocupadas, é coisa de louco.


Começamos os trabalhos pedindo os clássicos Iced tea, servidos em caneconas estilosas (cujo modelo mudou desde o…

Surah

Pelo mesmo amigo que nos levou ao Miss Korea, conhecemos o Surah, que também é um lugar de churrasco coreano só que desta vez mais perto de casa e com um esquema muito mais em conta: 30 dólares por pessoa e podendo comer tudo à vontade - inclusive dá para ser o maluquinho dos frutos do mar e se entupir só de camarão, coisa que não faço porque tenho preguiça de tirar a casca de todos e vamos combinar que uma carne fritinha é muito mais interessante, hehe.


O ambiente é todo coreano, inclusive as músicas, e foi muito bom ter novamente alguém que sabia o que pedir e ainda pedir no idioma original, haha. Há muitas mesas, muita conversa e mesmo assim os funcionários se desdobravam para atender todos. O difícil deste tipo de lugar é que eles precisam ficar de olho nas carnes das grelhas de todas as mesas, se estão boas, se precisam ser repostas, cortadas, etc. A gente não se importava de cuidar da nossa própria carne e mesmo assim sempre alguém aparecia para cuidar da nossa grelha.


Além das…