Pular para o conteúdo principal

Oh!Melete

Já leio o #vaigordinha desde muito tempo atrás, quando as postagens de gordice da Miyu eram exclusividade do blogue pessoal dela. Nesse tempo todo, já aproveitei muitas dicas que ela passou aqui - de lugares que realmente valeram a pena. Não estou exatamente nadando na grana (quem está?), mas gosto de comer em lugares bacanas de vez em quando, e pensei que poderia fazer uma ou outra resenha pra colaborar. A parte boa é que ela aceitou =)

Estava procurando um lugar pra levar a namorada para jantar. O negócio é que ele teria que atender a alguns requisitos, como ter comida vegetariana e uma conta de uns 50 reais por pessoa no máximo. Dei uma procurada no Restorando, onde já tinha tido a sorte de achar um restaurante natural bem legal, o Banana Verde, e encontrei o Oh!Melete.

Fiz a reserva pelo Restorando mesmo e fomos lá, num sábado chuvoso, à noite. O restaurante fica em Perdizes, perto da avenida Sumaré. O ambiente e decoração são bem aconchegantes (o espaço é pequeno, com poucas mesas), mas a primeira impressão do atendimento não foi muito legal. A casa estava vazia, sem clientes, e o atendimento do garçom deu aquela sensação de estarmos 'atrapalhando' o que era pra ser uma noite tranquila e sem trabalho.


Mas aí começou a compensar quando pedimos os pratos. De entrada, pedimos um negócio chamado Supli, que eram bolinhos de arroz arbóreo (o de fazer risoto) com queijo muçarela. Eles eram fenomenais, saborosos. O cardápio disse que vinham 6 unidades, mas vieram sete, o que foi ótimo =) Pedimos também uma outra entrada, de azeitonas verdes marinadas no suco de limão siciliano, mas eles não tinham azeitonas. Oh well, fazer o que.


O Oh!Melete serve, obviamente, omeletes, e a quantidade de possibilidades de combinações de ingredientes parece exagerada, mas ao mesmo tempo vale a pena poder montar o que você quiser. Para os mais indecisos (tipo eu e a namorada), tem opções já montadas no cardápio e todas parecem deliciosas. Ficamos eu com um omelete de batata e bacon com cebolas fritas e salsinha, e ela com um "shimeji da fló" - omelete de shimeji com cream cheese e cebolinha. Os omeletes são grandes, feitos com três ovos, e meu deus, são deliciosos. Derretem na boca, têm uma textura fantástica, e não parece mas enchem bastante.


Pra sobremesa, peguei um romeu e julieta (delicioso também, a goiabada era cascão) e a namorada escolheu uma sobremesa que ainda está assombrando meus sonhos: o "Pain Perdu", uma rabanada com sorvete de creme e canela. Só que o pão dessa rabanada é algo que eu não sei explicar. É muito saboroso. Dá vontade de voltar só pra comer essa sobremesa.


E a conta ficou dentro do budget, deu 40 por pessoa, o que também é algo positivo, né?

PS: Ah! Na hora de pedir a nota fiscal paulista, foi uma certa demora, porque eles fazem uma daquelas notinhas manuais. Também não pesou favoravelmente nesse quesito atendimento e tals.

• Post escrito por Álvaro (@alvarofritas), que com certeza você deve conhecer. As fotos foram retiradas do site oficial do restaurante


Ficha Feliz
  • Satisfação do gordinho: saiu rolando feliz e satisfeito
  • Preju: R$42,00 por pessoa, incluindo entrada, omelete, sobremesa, bebidas e o 10% e tal
  • Unidade visitada:
    • Rua João Ramalho, 766
    • (11) 3875-2550
  • Horário de funcionamento:
    • Segunda, das 12:00 às 15:30
    • Terça à sexta, das 12:00 às 15:30 e das 18:30 às 23:00
    • Sábado, das 13:00 às 17:00 e das 19:00 às 23:00
  • Site: http://www.ohmelete.com.br

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Receita: Chá de Pobá

Era para ser divertido e gostoso... mas não foi bem assim. Estragamos muita coisa, arriscamos muito e no fim... eu nem gosto de pobá no chá porque aquelas bolinhas me dão nervoso, haha. Ainda acho mais fácil comprar pronto na Liberdade mesmo! 

Nível de dificuldade: médio, se a gente soubesse das instruções antes Porção: com o que sobrou do que deu certo, 4 copos grandes 
Ingredientes: 1 xícara (chá) de bolinhas de tapioca 2 xícaras (chá) de água 1/4 de xícara (chá de mel)1 xícara (chá) de açúcar mascavoLeite, creme de leite ou leite condensado à gostoChá preto forteAçúcar, mel ou frutose para adoçar
Modo de preparo simples: Cozinhe as bolinhas de pobá e reserve. Enquanto isso aqueça a água e acrescente o mel e o açúcar mascavo. Deixe a mistura esfriar e jogue as bolinhas. Monte em um copo as bolinhas coadas, o chá, o leite, o gelo e adoce à gosto. 
Modo de preparo com dificuldades da vida:  A únicas bolinhas que encontramos para vender na Liberdade eram branquinhas (na Casas Bueno, não est…

Outback

Siiim! Finalmente um post sobre o lendário Outback, diretamente da minha unidade favorita! Wow, comecei o ano escrevendo muita coisa que estava devendo para minha consciência gordinha, que alegria!
Sei que o lugar dispensa apresentações: bacanudo, atendimento eficiente, comida boa e engordativa, filas insanas e a conta um pouco salgada. Mas acho que vale muito a pena reforçar tudo isso, além de expor algumas técnicas de sobrevivência que nunca caem de moda, aiquifodis.

A primeira delas é tentar chegar lá o mais cedo possível e com metade das pessoas que se sentarão com você presentes. Se algum destes itens faltar, é sentar e esperar, e muito. Em minha última visita, fui com a minha irmã e sobrinha um pouco depois que a casa abriu para o jantar em uma terça-feira, às 17:45. Às 18:30 resolvemos olhar um pouco a nossa volta e todas as mesas estavam ocupadas, é coisa de louco.


Começamos os trabalhos pedindo os clássicos Iced tea, servidos em caneconas estilosas (cujo modelo mudou desde o…

Surah

Pelo mesmo amigo que nos levou ao Miss Korea, conhecemos o Surah, que também é um lugar de churrasco coreano só que desta vez mais perto de casa e com um esquema muito mais em conta: 30 dólares por pessoa e podendo comer tudo à vontade - inclusive dá para ser o maluquinho dos frutos do mar e se entupir só de camarão, coisa que não faço porque tenho preguiça de tirar a casca de todos e vamos combinar que uma carne fritinha é muito mais interessante, hehe.


O ambiente é todo coreano, inclusive as músicas, e foi muito bom ter novamente alguém que sabia o que pedir e ainda pedir no idioma original, haha. Há muitas mesas, muita conversa e mesmo assim os funcionários se desdobravam para atender todos. O difícil deste tipo de lugar é que eles precisam ficar de olho nas carnes das grelhas de todas as mesas, se estão boas, se precisam ser repostas, cortadas, etc. A gente não se importava de cuidar da nossa própria carne e mesmo assim sempre alguém aparecia para cuidar da nossa grelha.


Além das…